BAIXE GRÁTIS NOSSO KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGEM! CLIQUE AQUI!

Visto de estudante para a China: Como solicitar?

Olá pessoal, no artigo de hoje vamos trazer informações para quem pensa em fazer um intercâmbio na China e tirar o visto de estudante para a China.

Vamos trazer informações sobre os motivos do porquê estudar na China, sobre as principais universidades do país, sobre as características da cultura chinesa, o passo-a-passo para tirar o visto chinês, entre muitas outras informações.

Por que estudar na China?

Fato é que o ensino superior chinês tem se tornado cada vez mais respeitado a nível mundial e a China vem investindo forte no ensino dos seus jovens. Não é comum escutarmos reportagens de crianças estudando horas por dia.

Isso vem fazendo o país dar um salto na economia, a ponto de se tornar a segunda maior economia mundial, com universidades que vem liderando rankings, com disciplinas ministrada no inglês para aflorar ainda mais o idioma e tudo isso para os intercambistas.

As universidades chinesas de Tsinghua University e Peking University (ambas em Pequim) e a Fudan University (em Xangai) são consideradas as três melhores do país.

Ainda assim, a China não é um dos destinos mais comuns nas opções dos intercambistas, ainda por um certo preconceito, mas também pelas grandes diferenças culturais e dificuldades no idioma mandarim. Mas, o que leva uma pessoa querer estudar no país?

O tradicional vestibular, chamado de gaokao, é extremamente disputado. Dos inscritos, a taxa de aprovação é menos da metade.

Sabendo disso, as universidades apoiam ofertando bolsas para pessoas provenientes dos países em desenvolvimento e fomentando parcerias com instituições de ensino consagradas em mais de 70 países.

Passeio de barco a bordo de um pescador em Fenghuang
Passeio de barco a bordo de um pescador em Fenghuang

QUAL O MELHOR SEGURO DE VIAGEM PARA VOCÊ?










Quais tipos de visto existem na China?

Existem pelo menos 3 tipos de visto principais para quem desejar estudar na China como vamos ver a seguir.

Quem deseja passar apenas 6 dias no país, não precisa de visto, uma vez que a liberação é feita no momento em que o turista desembarca no país.

Isso pode ser útil caso você venha participar de feiras ou eventos, assim como de cursos rápidos que duram apenas alguns dias.

Contudo, esse não é foco de quem deseja estudar em uma faculdade chinesa, no qual exige muito mais tempo.

Para essas situações, existem as seguintes opções de visto de estudante para a China:

  • Visto L: trata-se de um visto específico para quem deseja apenas passear no país, sendo necessário, para solicitá-lo, ter um passaporte com validade de, pelo menos seis meses. Além disso, é preciso preencher um formulário que você pode encontrar no site do consulado.
  • Visto X1: esse é um visto específico para estudantes que pretendem passar mais que 180 dias no país com a finalidade de estudo. Para isso, se torna necessário ter um passaporte com validade de seis meses, e preencher o formulário. Além disso, é preciso ter uma carta de admissão de alguma universidade da China.
  • Visto X2: indicado para quem vai passar menos de 180 dias no país estudando. Para isso, além de preencher o formulário e ter carta de aceite, o seu passaporte precisa ter 6 folhas em branco.
As lanternas fazem parte da cultura da China
As lanternas fazem parte da cultura da China

7 passos para solicitar visto de estudante para a China

Em resumo, é necessário você cumprir ao menos as seguintes 7 etapas para solicitar o seu visto de estudante para a China:

  1. Escolher uma escola ou universidade e seu curso
  2. Solicitar a aprovação para realizar o curso
  3. Preparar a documentação
  4. Agendar entrevista
  5. Fazer a entrevista
  6. Retirar o visto com o deferimento
  7. Reservar a viagem

1. Escolher um curso ou universidade

O primeiro passo para solicitar o visto de estudante para a China é saber onde você quer estudar.

A escolha da universidade é fundamental para obter a aprovação e também direcionar toda a documentação necessária.

Abaixo trouxemos as melhores universidades, de acordo com o ranking da QS World University Rankings 2020, da Quacquarelli Symonds (QS).

Ao todo 12 instituições de ensino chinesas foram incluídas entre as 100 melhores do mundo, sendo que a Universidade de Tsinghua foi a melhor classificada no levantamento, ocupando o 16º lugar, seguido da Universidade de Pequim, em 22º lugar.

O investimento em pesquisa foi um dos pontos altos que classificaram as instituições, além dos progressos no sistema educacional do país, melhorando consideravelmente a qualidade da educação e a influência global.

Algumas delas oferecem facilidades para os estrangeiros e devem ser levadas em consideração, conforme lista abaixo:

  • Universidade Tsinghua: vencedores do Prêmio Nobel, dois presidentes da China e outras personalidades, como o escritor chinês Qian Zhongshu e o filósofo Feng Youlan, se formaram na instituição. Atua fortemente na área de engenharia, medicina e ciências sociais. Possui o segundo melhore MBA do mundo inteiro. Ao todo são ofertados 14 programas de mestrados ministrados em inglês. A universidade conta também com o programa Schwarzman Program para a formação de novos líderes.
  • Universidade de Pequim: é a universidade mais importante da Ásia, ligada às disciplinas de Ciências, conhecida como a “Harvard chinesa”. Possui convênio com mais de 200 universidades em todo o mundo (como Cornell, Stanford e Yale). Além disso possui a maior biblioteca da Ásia, 242 programas de pós-graduação e mestrado e 212 doutorados. A maioria dos professores lecionam em inglês.
  • Guangxi Normal University (GXNU): destaca-se na área de educação, sendo uma renomada instituição para quem tem o desejo de lecionar como professor.
  • Shanghai Jiao Tong University: é responsável pelo renomado ranking universitário mundial ARWU. Destaca-se na área de ciências e integra em suas instalações boa parte dos alunos estrangeiros.
  • Fudan University: também é conhecida por receber estudantes de todo o mundo, sendo considerada uma das cinco melhores da China.
  • Sichuan University: localizada em Chengdu, no interior do país, conta com parcerias acadêmicas de peso, atraindo, assim, estudantes estrangeiros.
  • University of Hong Kong: a instituição combina o ensino superior britânico com o chinês, facilitando também a adaptação do imigrante.

2. Solicitar a aprovação para realizar o curso

Após a escolha da escola ou universidade, o próximo passo é entrar no site de cada uma delas, pesquisar os cursos que elas oferecem, identificar os cursos pretendidos por você e então entrar em contato com a universidade.

Caso o estudante seja aprovado, será enviada uma carta convite, uma declaração que deverá ser apresentada no consulado para solicitar o visto de estudante.

“O ideal é que você faça todo esse processo com antecedência, sendo o recomendado de 3 a 4 meses antes de iniciar o programa de estudos escolhido daquela universidade.”

3. Preparar a documentação

Após a escolha do curso, da universidade e a aceitação da faculdade para fazer o curso com eles, seja através de bolsa ou pagando pelos estudos, o próximo passo é saber quais são os documentos obrigatórios para tirar o visto de estudante.

Toda a documentação deve ser apresentada na versão original, com cópias autenticadas e tradução juramentada.

  • Passaporte válido pelo período de estadia no país, com páginas em branco para o visto;
  • 1 foto 3×4 colorida e com fundo branco, tirada nos últimos seis meses;
  • RG, CPF, certidão de nascimento (do aluno e dos pais, se for menor de idade);
  • Formulário e taxas pagas solicitadas pelo consulado;
  • Inscrição ao Visto para Estudar na China – o JW201 ou JW202 (Visa Application for Study in China), documentos emitidos com base no tipo de bolsa concedida ao aluno – caso tenha;
  • Carta de admissão emitida pela universidade chinesa e comprovante de matrícula;
  • Comprovante de residência, tanto no Brasil quanto na China;
  • Comprovante financeiro para o tempo de estadia no país – holerite, extrato bancário, informa de imposto de renda (tanto do aluno, quanto dos pais, caso seja menor de idade);
  • Carta de autorização dos pais – caso o aluno seja menor de idade;
  • Passagens de ida e volta ao país de origem (ou reserva aérea);
  • Atestado de Saúde;
  • Atestado de Antecedentes Criminais emitido pela Polícia Federal;
  • Seguro viagem.
Xangai é uma das cidades para se conhecer durante o intercâmbio na China
Xangai é uma das cidades para se conhecer durante o intercâmbio na China

COMPARADOR DE SEGURO DE VIAGEM

4. Agendar entrevista

Após toda a documentação ok, os interessados precisam comparecer ao consulado da China no Brasil e passar por todo o tramite burocrático da apresentação da documentação.

No site do Ministério das Relações Exteriores você encontra a lista com os principais endereços, incluindo a Embaixada da China no Brasil e os consulados da China no Brasil, conforme relação a seguir:

Embaixada da China em Brasília

Consulado-Geral da China em Recife

Consulado-Geral da China no Rio de Janeiro

Consulado-Geral da China em São Paulo

A lista acima pode sofrer modificações conforme mudanças do governo chinês. Por isso, o mais recomendado é você entrar no site de cada um dos consulados e verificar se a sua cidade faz parte daquele centro.

5. Fazer a entrevista

Será necessário comparecer ao menos uma vez ao consulado e participar de entrevista que pode acontecer durante o processo de deferimento do visto de estudante China ou então somente ao término do processo no dia da retirada dos documentos.

6. Retirar o visto com o deferimento

Se tudo der certo você vai receber o visto de residência para a China deferido com toda a documentação ainda no mesmo dia.

7. Reservar a viagem

A partir desse momento é que você pode começar a se preocupar com a compra das passagens aéreas a partir de sites como do Viajanet ou da MaxMilhas, na reserva de estadias para os primeiros dias em sites como do Booking e na compra do chip de viagem para se manter conectado durante todo o período em sites como da América Chip.

Estando na China, é preciso se apresentar à Administração de Entrada e Saída do Governo Local em até 30 dias para solicitar o visto de residência.

Saiba como solicitar o visto de estudante para a China
Saiba como solicitar o visto de estudante para a China
Dicas para a bagagem

Perguntas e resposta sobre o visto de estudante para a China

Onde morar na China?

Para decidir onde morar na China é preciso avaliar o estilo de vida que se quer levar e a forma e o tempo de locomoção entre a residência e a instituição que pretende cursar.

Pequim é onde tudo acontece na China, a capital e o grande centro político, abrigando multidões. Muitas bolsas de estudos são concedidas para quem quer estudar lá.

Em Xangai, o ritmo de vida é similar, já que é a maior cidade da China. Ambas são ideais para quem está acostumado a viver em grandes centros urbanos e as grandes universidades estão instaladas nelas.

Para quem pretende ter mais contato com a natureza, paisagens únicas ou um ritmo de vida desacelerado, pode escolher as cidades de Guilin, Yangshuo, Chengdu e Hangzhou, assim como as cidades de Guangzhou, Wuhan, Shenyang ou Tianjin, que podem ser uma alternativa, inclusive, por terem um custo de vida mais acessível.

Como é a rotina de estudos dos chineses?

Para morar na China é preciso saber que a rotina deles é bem diferente da nossa, começando pelo ritmo de estudo dos chineses – muito acelerado e competitivo. Lazer é algo que não existe na vida desses estudantes.

As bibliotecas chinesas contam com superlotação e não é incomum ver pessoas lendo em locais públicos, como praças e áreas de alimentação de restaurantes e fast foods. A cobrança das instituições de ensino é alta, não são toleradas faltas e tão pouco atrasos.

Como é o trânsito na China?

O trânsito na China é caótico e vale prestar atenção e se antecipar quanto ao quesito locomoção.

O transporte público é barato e eficiente com as amplas opções de linhas de ônibus e metrô. A bicicleta é um item muito usado pelos estudantes.

Porém, preste atenção: é comum ver motos circulando nas calçadas, pedestres fora da faixa, carros vindo na contramão e sim, muita buzina (assim como vemos nos filmes).

Como é a alimentação na China?

Para se alimentar, prepare o estômago. As comidas são bastante apimentadas, exóticas e higiene não é o ponto alto dos chineses.

Os refeitórios das universidades costumam oferecer pratos bem mais em conta.

A agricultura na China é muito diferente da que conhecemos no Brasil
A agricultura na China é muito diferente da que conhecemos no Brasil

Como é a relação Brasil e China?

A China e Brasil são extremamente parceiros não só no quesito educação, como também comercialmente falando.

Isso gera uma infinidade de oportunidades profissionais, já que aumenta, cada vez mais, o número de empresas chinesas no Brasil e na América Latina como um todo.

Os cursos de verão contam também com aulas ministradas por professores de todo o mundo, inclusive do Brasil, promovendo assim a qualidade no ensino de maneira globalizada. As medidas visam garantir o reconhecimento mútuo das qualificações acadêmicas.

Para os amantes da tecnologia, o governo chinês tem o projeto “Made in China 2025”, com o intuito de incentivar a inovação tecnológica e apoiar o desenvolvimento em pesquisa no país.

E isso já pode ser visto pela presença de importantes companhias neste setor em solo chinês: Alibaba, Tencent, Baidu, Xiaomi, entre outras.

Vale a pena fazer turismo na China?

A China já é o quarto país mais popular entre as viagens internacionais, chamando atenção dos turistas pela sua importância econômica e o patrimônio cultural.

Se destaca por atrações turísticas imponentes, como as Montanhas do Himalaia, o Deserto de Gobi, a Muralha da China, o exército de Terracota de Xian e as Montanhas Amarelas.

E ultimamente vem se destacando pela sua modernidade, com Pequim e seus trens balas, Xangai e seus prédios iluminados, Macau e suas noites e a agitada Hong Kong com seus arranha-céus.

Vista da grande Muralha da China
Vista da grande Muralha da China

É obrigatório seguro viagem para estudantes brasileiros na China?

Sim! É necessário obter o seguro viagem para quem estar se deslocando do Brasil para estudar na China.

Existem diferentes sites que realizam esse tipo de seguro, porém, indicamos o Seguros Promo, que são parceiros do nosso blog e que realizam uma ótima prestação de serviços.

A parceria está explicada nesse post, você pode acessá-lo a qualquer momento para entender mais sobre o assunto.

>> Fazer cotação gratuita de preço de seguro de viagem

Vantagens de estudar na China

Apesar da dificuldade de adaptação à cultura chinesa, certamente a experiência de estudar na China é enriquecedora.

Os estrangeiros levam uma grande vantagem: não precisam fazer a prova caso queiram cursar a graduação ou a pós-graduação no país.

Além disso, os imigrantes podem ficar sozinhos ou ter apenas um colega de quarto nas residências universitárias.

Outra grande vantagem é que muitas disciplinas já são ministradas em inglês para tornar o aprendizado do aluno mais acessível. Todos esses atrativos servem para facilitar a ida dos intercambistas à China.

O governo chinês investe pesado nos imigrantes, tanto que o Ministério da Educação tem aumentado os gastos e a oferta de bolsas de estudo por meio do programa China Scholarship Council.

Não é à toa que o mandarim é o terceiro idioma mais popular do mundo, que impulsiona e diferencia a trajetória profissional de qualquer executivo.

Além de todos os aspectos listados acima, não podemos deixar de mencionar o custo de vida chinês: muito mais acessível do que outros destinos preferidos pelos estudantes, como Estados Unidos e Reino Unido, por exemplo.

Desvantagens de estudar na China

A principal desvantagem de estudar na China é a dificuldade de adaptação à sua cultura, extremamente diferente da nossa, assim como o idioma que não utiliza as letras, mas sim símbolos.

Dependendo da cidade, o estudante também vai ter um período de adaptação ao clima, que é muito variável.

Outras situações que podem chamar a atenção na China são os terremotos, a poluição (muitas vezes sufocante), trânsito, assim como a alimentação muito diferente da nossa.

Se for possível, uma sugestão para saber se você vai se adaptar é fazer uma viagem a turismo para a China primeiro, assim como se manter em contato com a cultura chinesa em comunidades da China no Brasil.

Outros artigos sobre visto de estudante

Esse artigo faz parte de uma série de artigos para ajudar os leitores do blog a tirar seus vistos de estudante. Veja outros artigos publicados da série:

Conclusão

Estudar na China é uma excelente oportunidade para estudantes que desejam conhecer um país diferente e estar em contato com uma nova cultura.

Assim como em outros países, existem prós e contras a respeito de investir no estudo na China, mas que vale muito a pena pelo aprendizado.

Para finalizar vale lembrar da importância de um seguro de viagem para a China, já que os custos com médicos e hospitais podem sair alto caso você venha a ficar doente ou se acidentar durante a viagem.

Agora queremos ouvir a sua opinião. Você já tinha pensado em fazer um intercâmbio na Colômbia? O que achou das vantagens do país vizinho para escolha? Deixe abaixo o seu comentário!

Abraço e até o próximo post!

Avatar
Thiago Cesar Busarello

Thiago Busarello é autor e criador do Vida de Turista, no qual adora viajar e falar do assunto de turismo e viagens, compartilhando dicas e informações de viagens com os leitores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat