BAIXE GRÁTIS NOSSO KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGEM! CLIQUE AQUI!

O que fazer em Hong Kong, região administrativa da China

Quem pretende fazer turismo em Hong Kong pode se surpreender, mas até 1997, a cidade não constava como uma parte da China, não. Isso porque Hong Kong era uma “joia” da Coroa Britânica.

Desde então, a região voltou a ser integrada ao território chinês. Entretanto, Hong Kong conta com o título de “Área Administrativa Independente”. Mas, essa questão é importante para quem está se preparando para viajar?

Sim! Porque Hong Kong conta com uma alfandega, moeda, sistema de imigração e modelo político próprio. Há quem diga que a região pode ser considerada uma verdadeira junção entre as influencias ocidentais e orientais em um único lugar.

Além disso, qualquer um que pretenda fazer turismo em Hong Kong tende a encontrar uma cidade com diversidade em todos os aspectos, inclusive no idioma. Já que é possível se comunicar em cantonês, mandarim e inglês.

O que fazer em Hong Kong

O turismo em Hong Kong é uma experiência fantástica devido as suas infinitas possibilidades, com programas culturais, urbanos, centros para compras, atrações ao ar livre e uma cultura mesclando o mundo oriental ao ocidental.

Por isso, a viagem pode representar um verdadeiro choque de cultura, porque uma simples caminhada nas ruas pode lhe proporcionar uma imersão em diversas nações diferentes em um único local. E, sem dúvida, essa é uma das partes mais incríveis desse destino!

Victoria Peak

Também chamado de The Peak, esse é um dos principais pontos turísticos locais e não pode ficar fora do seu plano de viagem de forma alguma. Ainda que seja uma montanha, Victoria possui uma visão panorâmica de Hong Kong diante dos seus 520 metros de altura!

Vale frisar que esse ponto também se refere a um bairro de Hong Kong com muitas casas, vastos comércios e restaurantes.

No entanto, há formas distintas de desbravar o lugar e a principal é pelo The Peak Tram, um acesso com mais de um século de história e extremamente inclinado na subida da montanha. Caso o turista queira economizar, ainda dá para curtir uma vista inesquecível da cidade a partir de uma caminhada até o lugar. Em último caso, dá para pegar um busão e aproveitar os mirantes gratuitos!

Linda vista da cidade de Hong Kong à noite
Linda vista da cidade de Hong Kong à noite

QUAL O MELHOR SEGURO DE VIAGEM PARA VOCÊ?










Star Ferry

A Star Ferry é uma famosa embarcação que realiza o percurso entre a ilha e a região de Kowloon. Esse tipo de transporte se iniciou por volta de 1880 e segue até hoje, o que faz com que não seja somente uma forma de acesso de um lado para o outro como também um verdadeiro ícone de Hong Kong.

O caminho é considerado breve, levando cerca de dez minutos e ocorre de maneira constante. Portanto, você não precisa se apressar em pegar a primeira embarcação e pode se dar ao luxo de tirar uns minutinhos para observar todo o cenário. Basicamente, essa é uma travessia curtinha, só que fornece um visual fora do comum de toda a arquitetura local.

Buda Gigante

Erguido em cima de uma colina na Ilha de Lantau, esse é um dos pontos mais sensacionais e imperdíveis para quem está planejando o turismo em Hong Kong. Afinal, essa é uma estátua de Buda a céu aberto! A obra foi feita em bronze e concluída em 1993. Ao todo, o Buda Gigante possui quase 35 metros de altura! Faz valer o nome, não faz?

Por isso, essa é uma opção perfeita para dar uma escapadinha da agitação interminável da cidade, pegar um pouco de ar puro e descobrir uma área muito mais natural da cidade. Só que o caminho até o Buda Gigante passa por uma escadaria com exatos 268 degraus. Um esforço que vale a pena!

Além da visão por fora e oportunizar a vista de uma região montanhosa, a estátua também oferecer a vista por dentro. Esse passeio pelo interior do Buda Gigante ainda é espetacular pela gratuidade e pela oportunidade de explorar um museu com homenagens a monges.

Essa é a estátua do buda gigante de Tian Tan em Hong Kong
Essa é a estátua do buda gigante de Tian Tan em Hong Kong
Cupom desconto viagem

Flower Market

O Mercado de Flores de Mong Kok é um ponto que concentra diversas floriculturas e rende uma excelente atração para qualquer turista que admira a beleza das flores. A diversidade das plantas do local é infindável, uma vez que cada estabelecimento é focado em um tipo de flor.

Entretanto, o turista nacional não pode comprar exemplares para trazer para cá. Já que é uma pratica proibida conforme a legislação brasileira. Ainda assim, essa é uma boa opção para admirar tanto a beleza quanto a variedade das plantas.

Ladie’s Market

Situado no agitado bairro de Mong Kok, Ladie’s Market é muito mais amplo do que o seu nome indica. O local é realmente uma feira de rua que comercializa muito mais do que itens exclusivamente femininos.

O estabelecimento, que engloba uma área bem ampla ao ar livre, possui barracas que oferecem peças de roupas para todas as idades, roupas, calçados, itens de decoração, presentinhos, entre outros.

No entanto, o turista em Hong Kong precisa estar consciente que a origem desses produtos é altamente suspeita. O que isso quer dizer? Basicamente, as mercadorias tendem a ser falsificadas, mas é um espaço procurado por quem está procurando as “lembrancinhas” para familiares e amigos.

Clock Tower

Clock Tower, ou seja, a “Torre do Relógio” é um ponto icônico na ilha e foi erguido ainda em 1915. Inicialmente, a construção integrava a estação Kowloon-Canton, que já não está mais funcionando e tampouco está presente no lugar. Entretanto, a gigantesca torre com cerca de 45 metros de altura segue chamando a atenção e reconhecida como um dos pontos turísticos locais.

Além disso, a área onde está situada a Clock Tower, no trajeto de Tsim Sha Tsui, faz parte de um cenário fora de série e ótimo para registros das construções, bem como do espetáculo noturno Symphony of Lights (Sinfonia das Luzes).

Avenue of Stars

A Avenue of Star (Avenida das Estrelas) é um espaço com a finalidade de homenagear artistas famosos locais relacionados ao cinema. O ponto possui inúmeras estatuetas de muito conhecidos na região e um ambiente com os moldes das mãos de muitas personalidades.

Vale salientar que Hong Kong é referência na área cinematográfica em todo continente asiático e conta com um dos maiores astros mundiais, o ator Bruce Lee. Reconhecido pela revolução levada as produções de ação, Bruce Lee chegou a nascer nos Estados Unidos, só que residiu em Kowloon e também é filho de moradores de Hong Kong. Apesar da morte precoce, o nome de Lee ficou gravado na história do cinema mundial.

A avenida chegou a passar por obras há alguns anos, quando uma parcela do acervo ficou restrito para visita popular. No entanto, a Avenue of Starts já foi totalmente liberada para apreciação dos visitantes.

O Bruce Lee vem de Hong Kong e tem essa estátua de homenagem
O Bruce Lee vem de Hong Kong e tem essa estátua de homenagem

COMPARADOR DE SEGURO DE VIAGEM

Nathan Road

A Nathan road é um dos principais acessos da região de Kowloon e ainda faz ligação com Mong Kong e Tsim Sha Tsui. Sendo assim, a via não ganha relevância só por causa disso, bem como se transformou em um dos pontos de venda locais mais fortes.

No decorrer da estrada, é possível encontrar estabelecimentos comerciais, restaurantes, shoppings, pousadas e até prédios residenciais. No total, a Nathan Road conta com 3,5 quilômetros de extensão e costuma ter muitos visitantes, sobretudo, na parte de Tshim Sha Shui. Isso porque essa é considerada uma área muito bacana para a realização justamente de passeios turísticos. Vale a pena incluir no seu roteiro!

Mong Kok

Mong Kok, em Kowloon, é uma das regiões mais animadas de Hong Kong. Além disso, o ambiente conta com uma das maiores taxas demográficas do planeta e chama a atenção pela quantia de moradores em edificações e transitando pelas vias 24 horas por dia. Portanto, é um local que está sempre fervendo!

Ainda que seja trabalhoso para se locomover por ali, a região oferece ótimos points para fazer compras e até descobrir mais sobre a essência da ilha. O Mong Kong também se destaca pelos mercadinhos populares de rua, como a feira de flores e peixes dourados. No entanto, a muvuca se concentra perto da estação de trem e em determinadas ruas.

Causeway Bay

Causeway Bay intitula tanto uma região quanto uma estação de trem em um dos pontos mais povoados da ilha. Basicamente, esse é o local de agitação de Hong Kong e ideal para o turista que deseja fazer algumas comprinhas, admirar a cidade realmente fluindo e para se deliciar com pratos locais.

Nessa área, se encontram ainda marcas mundiais, como Apple e Prada, estabelecimentos mais acessíveis e até shoppings como Times Square. Ou seja, é um point perfeito para qualquer pessoa que queira levar diversas lembranças para a casa. Se você se encaixa com esse perfil, Causeway Bay é um ponto de parada obrigatório por sua diversidade, indo desde lojas de altíssimo valor até lojinhas de preços populares.

Afinal, Hong Kong já é famosa por ser um ambiente propicio para encher bolsas e mais bolsas e o lugar que incorpora todas essas características é justamente a Causeway Bay. Mas e aqueles que não estão a fim de encher as malas? Ainda assim, a atmosfera faz valer a pena porque você não se esquecerá da sensação de admirar o vai e vem das pessoas e a cidade iluminada por seus inúmeros letreiros.

Man Mo Temple

Então, o Man Mo Temple é um dos locais que oportuniza saber um pouquinho mais sobre o lado espiritual dos orientais. O templo foi erguido ainda em 1847 em homenagem aos deuses e se transformou no maior monumento desse estilo da região. Ainda que não seja tão grandioso, o Man Mo chama a atenção por se diferenciar da modernidade do bairro central.

É importante que a pessoa que vai fazer turismo em Hong Kong saiba que o templo tem três salões distintos e é preciso passar por todos para que a sua imersão seja completa. Quer uma dica extra? Dedique um tempinho a mais para admirar o salão com incensos gigantescos!

Symphony of Lights

Um dos cartões postais de Hong Kong é um espetáculo de luzes com muita música. Ou seja, uma espécie de apresentação das edificações que ganham as luzes de maneira sincronizada com a canção. Além disso, essa atração já classificada como o maior show contínuo de luzes e cores do planeta!

Entretanto, esse espetáculo não é interativo, mas é algo que vale a pena e já ganhou seu espaço na cultura local. Realizada todos os dias, a sintonia das luzes vai demandar apenas 13 minutos do seu tempo. E quer saber a melhor parte? É totalmente gratuito, contando até com edições em inglês nas segunda, quarta e sexta-feira.

Hong Kong Disneyland

Disney em Hong Kong? Isso mesmo! Essa é uma filial e está apenas a uma hora do bairro central. Portanto, é uma boa oportunidade para qualquer um que pretende genuinamente se divertir sem preocupação e se afastar da agitação do coração da ilha.

Ainda que conte com entretenimento de boa qualidade para adultos, esse é um parque bastante destinado a crianças e adolescentes. Além disso, essa parte da Disney está repartida em sete: Adventureland, Grizzly Gulch, Mystic Point, Toy Story Land, Fantasyland, Tomorrowland and Main Street.
No entanto, essa versão do parque de diversão dos EUA remonta o Magic Kingdom. Portanto, há castelos, paradas e espetáculos com personagens, só que em uma proporção um pouco menor. Caso você esteja ainda se questionando se deve colocar na sua programação, a resposta é SIM!

Ocean Park Hong Kong

Basicamente, esse é um parque de diversão temático na ilha. Algo normal, não é? Na verdade, o diferencial do Ocean Park é a sua localização em cima de uma montanha! Inaugurado em 1977, o lugar exalta a vida animal, sobretudo, a fauna marinha. E apresenta atrações com animais e que visam ensinar o respeito a todos os seres vivos.

É um parque com inúmeras atividades que englobam aquários gigantescos até brinquedos radicais. Bichos ameaçados de extinção, como o panda, podem ser admirados no local, fazendo com que a visita se converta em uma oportunidade para conhecer espécies diferentes. De modo geral, dá para reservar um dia inteiro para curtir o Ocean Park!

Observation Wheel

Quem vai fazer turismo em Hong Kong deve estar preparado para encontrar uma roda gigante de 60 metros situada na Frente do Porto Central da ilha. Ao todo, essa roda gigante conta com 42 gôndolas, sendo uma de caráter VIP com bancos de couro e um piso totalmente transparente. Ou seja, um visual de tirar literalmente o folego!

Todas as gondolas possuem climatizador e até sistemas de comunicação. Normalmente, a atração permite que os participantes fiquem ao longo de três voltas realizadas em aproximadamente 15 minutos. Além disso, cada unidade pode receber de maneira confortável até cinco pessoas ao mesmo tempo. Enquanto a cabine VIP é limitada a cinco visitantes por vez!

Harbour

Victoria Harbour é um porto natural que faz a separação de Hong Kong a Kownloon. As águas profundas e a sua posição estratégica no Mar Meridional foram essenciais para o desenvolvimento regional como um poderoso centro comercial.

Ao longo do tempo, Harbour passou por diversos processos de melhorias e reformas. De qualquer forma, o local ainda desempenha a sua função original de servir como um porto para receber centenas de milhares de embarcações de todos os cantos do mundo ano após ano.

Entretanto, Victoria Harbour também possui relevância como atração turística na ilha. Localizado bem em uma área extremamente urbana, costuma ser o palco de cerimonias de queima de fogos de artifícios e os seus passeios são usados como ponto de encontro quanto por aqueles que estão fazendo turismo em Hong Kong quanto pelos moradores.

Stanley Market

O Stanley é uma comunidade considerada sossegada na parte sul de Hong Kong. Além disso, o mercado local possui uma atmosfera muito mais calma e relaxada do que o restante dos mercados dos vilarejos vizinhos.

O mercado funciona todos os dias da semana e sempre no mesmo horário, das 10:30 às 18:30 horas. Todavia, a sua visita não precisa se resumir as comprinhas no comércio, mas também pode ser aproveitada com uma agradável caminhada no passeio marítimo local.

>> Leia também: Dicas para o réveillon em Hong Kong

Um dos pontos mais marcantes de uma viagem para Hong Kong é sua cultura e tradição
Um dos pontos mais marcantes de uma viagem para Hong Kong é sua cultura e tradição
Grupo de desconto de viagem

Temple Street Market

Esse templo é muito prestigiado e fica na região de Kowloong. É um ambiente extremamente conhecido e recheado de lembrancinhas, acessórios e diversas inovações chinesas. Ou seja, é um local bem popular e toda a compra e venda de produtos ocorre em barraquinhas no meio da rua. Há perigo de comprar algum item falso? SIM!

Apesar dos pesares, é um lugar que fornece produtos muito acessíveis e ainda boas opções para saborear a culinária chinesa após bater perna e encher as bolsas. Tudo isso sem gastar demais. Lembrando que esses comércios ao ar livre são uma verdadeira tradição da ilha e o Temple Street Market é o único deles que segue operando até no período noturno.

Goldfish Market

O Goldfish Street é uma parte do Tung Choi Street, ao norte na Bute Street. Há diversos estabelecimentos comerciais que fazem a venda de espécies tropicais de peixes de água doce e salgada.

Normalmente, o comércio da região começa a funcionar por volta das 11 da manhã e quem está fazendo turismo em Hong Kong pode aproveitar para almoçar em alguns dos restaurantes ou nas barraquinhas de ambulantes presentes na vida.

Vale lembrar que esse mercado fica muito perto de outros pontos turísticos, como o Mercado das Flores e o Mercado de Pássaros. Portanto, o ideal é organizar o seu plano de viagem para envolver todas essas visitas em um único dia a fim de aproveitar o seu tempo de deslocamento.

Wan Chai Road

Basicamente, a Wan Chai Road é a principal via para ir e vir na área de Wan Chai, na parte norte da ilha. O percurso foi construído no formato de L por volta de 1850 no decorrer do Morrison Hill nas proximidades do antigo prédio do mercado local até a praia de Observation Point, especificamente em Tin Lok Lane.

Além disso, a Wan Chai Road também concede passagem, através da Cross Lane, ao Parque Wan Chain, considerado o maior parque de toda a região.

Repulse Bay

Nem tomo mundo se prepara para aproveitar esse tipo de turismo em Hong Kong. Afinal, Hong Kong é uma ilha, não é? Por isso, possui praias maravilhosas! Esses locais tendem a render ótimos passeios, especialmente para os visitantes que buscam por uma atração alternativa ou para relaxar pertinho do mar.

Outro ponto que diferencia Repulse Bay é a sua localização ligeiramente distante da área central, fazendo com que não seja uma área tão povoada. Com uma ampla faixa de areia e inúmeras esculturas chinesas, a praia ainda tem uma boa estrutura com lojas, restaurantes e lanchonetes.

Quem passa por lá durante a estação mais quente do ano, pode ter horas memoráveis. Hoje em dia, Repulse Bay é vista como um dos lugares mais caros para se morar na ilha e não se encontram estações de metrô. Em contrapartida, dá para chegar tranquilamente a praia via ônibus.

Madame Tussauds de Hong Kong

O Madame Tussauds é um museu extremamente popular e encontrado nas principais metrópoles do planeta. O turista em Hong Kong se depara com estatuas de cera, ou seja, réplicas muito semelhantes a famosos locais e mundiais.

Essas réplicas demoram meses para serem finalizadas e exigem extrema dedicação dos artistas responsáveis. No entanto, o resultado final é impressionante! Por isso, esse é um passeio bem diferente e que pode gerar registros bem divertidos, especialmente, porque se tem a certeza de topar com alguma “cara famosa” pelos corredores.

Ngong Ping

O Ngong Ping 360 Cable Car é um teleférico que realiza um passeio de meia-hora entre Tung Chung até a vila de Ngong Ping, onde se encontra o Buda Gigante. Esse percurso possui quase seis quilômetros de extensão passando pelo mar, floresta e outros cenários até alcançar a comunidade.

Em um dia ensolarado, dá para notar tanto a parte urbana com as edificações gigantescas quanto toda a parte de natureza preservada em Hong Kong. Quem planeja fazer turismo em Hong Kong sequer tem ideia, só que apenas uma quarta parte de toda a área é urbanizada!

Não deixe de fazer esse trajeto e aproveite para fotografar o máximo que puder, uma vez que você vai se deparar com morros, aeroporto, matas e até quedas d’água! Está se sentindo corajoso? Aposte no percurso em uma cabine de cristal e com chão de vidro!

Jardim de Nan Lian

O Jardim Nan Lian possui um estilo clássico chinês e fica situado em Diamond Hill, em Hong Kong. O local conta com uma área de aproximadamente 3,5 hectares e foi projetado dentro do estilo da Dinastia Tang. Ou seja, é um jardim com muitas colinas, árvores, plantas, esculturas em madeira, morros e pedras.

Vale salientar que o Jardim de Nan Lian foi feito em um trabalho de parceria entre o governo local e o Convento Chi Lin. Sendo assim, o ambiente foi liberado para receber a presença de visitantes em 14 de novembro de 2006. Desde então, o jardim permanece aberto todos das 7 h até as 21 horas.

Outro jardim que merece destaque é o Jardim de Bons Desejos no Complexo do Templo Pecado de Wong Tai.

Vale muito a pena fazer um passeio pelo Jardim de Bons Desejos Wong Tai
Vale muito a pena fazer um passeio pelo Jardim de Bons Desejos Wong Tai
Dicas para a bagagem

Chi Lin Nunnery

O Convento Chi Lin é um complexo de templos budistas também localizado Diamond Hill, na região de Kowloon. Com cerca de 33.000 metros quadrados, o espaço contempla um convento, salões, jardins ao estilo chinês, hospedaria para turistas e um restaurante com cardápio totalmente vegetariano.

As salas contam com estatuas de divindades produzidas em ouro, pedra, madeira e barro. O convento foi construído em 1934 e passou por um processo de reforma na década de 1990, acompanhando o modelo arquitetônico da Dinastia Tang.

Como chegar até Hong Kong

A ideia de fazer turismo em Hong Kong não é complicada! Isso porque a United realiza conexão nos EUA antes de parar na cidade chinesa. Já a British Airways conta com uma escala em Londres, na Inglaterra. Enquanto a Air Canada possui voos para lá com saindo de Toronto, bem como a Emirates também promove paradas em Hong Kong.

Vale salientar que também existe diversas linhas que fazem a conexão da região a outros locais do país ou pontos da Ásia, como Seul, Bangoc, Cingapura e Tóquio.

Outro ponto é que se pode chegar a cidade pela ferry boat a partir de Macau com diversas companhias, como Turbojet e New World First Ferry. Neste caso, os percursos duram menos de uma hora e é preciso estar portando o passaporte.

Passagem aérea para Hong Kong

De modo geral, as passagens para países asiáticos tendem a ser caras devido a distância. O ideal é que o turista se programe a fim de adquirir os bilhetes aéreos com antecedência e até buscando por algumas promoções.

Independentemente da companhia aérea, provavelmente você vai encarar dois voos com uma longa duração podendo levar até 24 horas para fazer todo o trajeto.

Sendo assim, a média das passagens (ida e volta) no patamar de R$ 3 mil são consideradas de valor razoável. Mas não se espante por encontrar com valores mais elevados, especialmente, em uma compra em cima da hora.

Caminho terrestre

O deslocamento interno em Hong Kong é facilitado pela grande infraestrutura e as opções disponíveis. O sistema de metrô, popularmente chamado de MTR, possui um bom custo benefício, permite conhecer toda a ilha e o preço mudam conforme o trajeto e não tem um preço estabelecido.

Essa mesma regra serve para os ônibus, mas que chega a praticar preços mais acessíveis que o metrô e com mais pontos de descida. Já os bondinhos são uma forma de transporte tradicional, sobretudo, na parte do centro de Hong Kong com preços que também tendem a ser mais acessíveis que o metrô.

Além disso, o turista também pode recorrer aos taxis. Diferente do elevado padrão de vida, os taxis não têm preços tão altos, são encontrados com certa facilidade e oportunizando um trajeto sem depender de paradas previamente estabelecidas como metrô, ônibus e bondinho.

Aluguel de carro

E quem quiser fazer os passeios por conta própria? Neste caso, o aluguel de um carro para turismo em Hong Kong pode ser uma alternativa para os visitantes que almejam autonomia total para fazer o seu percurso. Hoje em dia, o serviço pode ser contratado por uma empresa de viagens ou por conta própria pela internet.

No entanto, os valores oscilam de acordo com os modelos, as características básicas dos veículos e o consumo. Uma Toyota Sienta pode sair pelo valor de R$ 500 por dia, enquanto um Golf pode ser alugado por diária acima dos R$ 600. Um carro compacto, como o Toyota Vios, pode custar cerca de R$ 250 / dia. Um tamanho intermediário (Altis) fica em R$ 375.

Onde ficar em Hong Kong

Permanecer na ilha representa a oportunidade de se manter perto dos principais pontos turísticos, os melhores estabelecimentos alimentícios, serviços bancários, casas de câmbio, mercados, entre outros.

Em Hong Kong, o clima é bastante semelhante aos países ocidentais com milhares de expatriados atuando em companhias gigantes e instituições financeiras. Só que essa questão, considerada como cômoda para alguns turistas, acaba por gerar valores mais elevados nas hospedagens.

Entretanto, alternativas de hospedagens nos chamados “Novos Territórios” tendem a ser mais econômicas. Em contrapartida, esses locais estão distantes do centro da ilha e são preferidos, normalmente por aqueles que estão viajando a trabalho.

Hotéis em Hong Kong

Se os novos territórios oferecem opções viáveis financeiramente, mas desinteressantes para turismo, Hong Kong tem outras possibilidades. Na área de Kowloon, existem boas pousadas e até estrelados com uma estrutura de qualidade para os viajantes.

Neste ambiente, o estilo é muito mais chinês e com uma quantidade menor de profissionais que se comunicam fluentemente em inglês. Entretanto, o visitante se depara com uma chance de conhecer mais sobre a cultura oriental. Além disso, essa parte da cidade de Hong Kong também comporta alguns hotéis e pousadas com preços variáveis.

Aluguel de temporada em Hong Kong

Vale salientar que ainda na região de Kowloon dá para achar alguns locais que fornecem a opção de quartos por aluguel, um dos modos mais viáveis de hospedagem por lá. Isso quer dizer que as dependências simples e limpas, só que não propriamente confortáveis.

Em contrapartida, o visitante deve estar ciente que em qualquer outro local da ilha, os valores não são baixos. Segundo o jornal Morning China South Post, Hong Kong está no ranking das 10 cidades mais caras do planeta para morar, ainda que uma temporada.

O aluguel mensal no bairro de Sai Ying Pum, perto da área central, gira em torno de 4 mil dólares para uma residência de apenas 50 metros quadrados. Enquanto a região sul de Hong Kong chama a atenção pelas lindíssimas praias, as áreas mais sossegadas com edificações variáveis entre de grande e pequena proporção.

Só que o preço de um uma casa com 3 quartos fica facilmente acima dos 12 mil dólares por mês. Mas, se a sua ideia de fazer turismo em Hong Kong não é poupar despesas o endereço certo é o The Peak, espaço mais caro e point famoso na cidade. Uma casa com 575 metros quadrados com cinco quartos ultrapassa 100 mil dólares mensais.

Gastronomia de Hong Kong

O fato é que Hong Kong é um verdadeiro paraíso para quem valoriza experiências gastronomias. Há restaurantes das mais diferentes especialidades e variações de preços. Nos estabelecimentos com preços mais caros, você encontra casas estreladas e com receitas feitas por chefes famosos em culinária francesa, italiana, japonesa, tailandesa, local, entre outros.

No Centro Financeiro existe uma grande diversidade de pequenos restaurantes e bistrôs que possuem cardápios com excelentes opções de vinhos. Os cafés e lanchonetes estão por toda a parte, sobretudo os empreendimentos que vendem as tapas chinesas, os dim-sum por valores justos.

Outra possibilidade são os negócios alimentícios com gastronomia típica local ou de outras áreas da China. De maneira geral, esses espaços são famosos pelos valores mais econômicos e os pratos gostosos e autênticos. Assim, a imersão cultural pode começar por um prato.

Seguro de viagem para Hong Kong

A contratação de um seguro de viagem não é requisito obrigatório para a entrada em Hong Kong, mas isso não significa que não seja importante para que a sua experiência aconteça da melhor maneira possível.

A única exigência para o turista brasileiro é passar pela imigração é o certificado de vacina contra febre amarela. No caso, o seguro de viagem serve como uma garantia para que o visitante tenha assistência médica quando estiver fora do seu país de origem. As cotações para Hong Kong variam, desde opções mais simples e baratas até serviços mais complexos e custosos.

Finalizando

Como você viu ao longo do post, Hong Kong fica localizada na costa sudeste da China e possui aproximadamente 7 milhões de habitantes, sendo praticamente independente da China, visto que é seu país de origem e que até hoje subentende-se que faz parte da mesma, apesar da parte administrativa governamental ser praticamente independente, segundo dados da Wikipédia.

A cidade de Hong Kong tem tanto tradições chinesas quanto tradições inglesas unindo uma mistura entre oriente e ocidente, pois ela foi colonizada por um britânico numa região chinesa, sendo que seus habitantes (a maioria chineses) falam fluentemente os idiomas inglês e mandarim.

Do ponto de vista turístico, o turismo de negócios é o que mais chama a atenção, visto que por ter a economia menos restrita do mundo (sendo basicamente livre de taxas) muitos negócios são fechados por lá, atraindo investidores e negociantes para realizar transações financeiras.

Não é a toa que o que mais chama a atenção são os enormes arranha-céus de Hong Kong presentes no centro financeiro como o Two International Finance Centre, o Central Plaza e o Bank of China Tower.

Agora queremos ouvir a sua opinião! Qual dos pontos turísticos de Hong Kong você ficou com mais vontade de conhecer? Deixe abaixo o seu comentário!

Abraço e até o próximo artigo!

FAQ – Perguntas e respostas

Que roupas levar para Hong Kong?

A escolha do seu vestuário passa pela época escolhida para ir para fazer turismo em Hong Kong. De modo geral, os melhores momentos para estar na China são durante o outono (meses de setembro, outubro e novembro) e na primavera (março, abril e maio). Já que a média da temperatura é bem amena e dispensa as roupas mais pesadas. No entanto, esse estilo de roupa verdadeiramente quente precisará ser adotado quando a sua viagem coincide com o inverno, bastante rigoroso e com neve frequente. A época mais quente do ano possui temperaturas sempre acima dos 30°C, ou seja, as peças necessitam ser leves e confortáveis para as suas andanças. No entanto, o turista deve ter cuidado se quiser visitar a parte sul do país entre abril e setembro, já que é um período conhecido pelas monções.

Quais documentos obrigatórios para Hong Kong?

Felizmente, o brasileiro não tem a necessidade de tirar um visto específico para fazer turismo em Hong Kong. No entanto, essa facilidade de entrada possui um prazo de até três meses. O brasileiro precisa estar com as vacinas em ordem e com o seu certificado internacional de vacinação contra a febre amarela. A dose tende a ser encontrada nos postos de saúde espalhados pelo território nacional.

Quanto custa uma viagem para Hong Kong?

Tudo depende do estilo de turismo em Hong Kong que você pretende fazer, envolvendo o modelo de hotel, atrações, passeios, gastos e até points escolhidos para se divertir e se alimentar durante a sua estadia na ilha. De qualquer maneira, o ideal é contar com dinheiro em espécie par arcar com pequenos gastos ou aqueles que não englobam pagamento com cartão. Por isso, a dica para fazer a troca é realmente nos bancos, como Bank of China. Os aeroportos também têm estabelecimento para troca, mas costumam cobrar taxas mais altas. No entanto, o principal ponto para definir o orçamento da sua viagem se refere a época do ano e a duração. Por exemplo, uma viagem de 15 dias com uma única pessoa pode passar dos 10 mil reais. O valor pode crescer ou ser reduzido, tudo depende das suas opções por lá!

Que moeda levar para Hong Kong?

Até pode soar estranho à primeira vista, só que a moeda local é o dólar de Hong Kong. Portanto, o turista precisa ter essa moeda a disposição para adquirir as mercadorias, fazer passeios e conhecer o que bem entender sem estresse. Já que a cidade é um espaço com padrão de vida consideravelmente elevado. Sendo assim, prepare o seu orçamento e se organize. Obviamente, a experiência em Hong Kong vale a pena, só que se necessita ter essa atenção extra para os valores exigidos de acordo com o estilo de viagem planejado!

Thiago Cesar Busarello

Thiago Busarello é autor e criador do Vida de Turista, no qual adora viajar e falar do assunto de turismo e viagens, compartilhando dicas e informações de viagens com os leitores.

16 comentários em “O que fazer em Hong Kong, região administrativa da China
  • 19/02/2010 em 07:42
    Permalink

    Eu moro em hong kong,
    e aqui poucas pessoas falam mandarim, na verdade eles falam “Caton”(cantones)
    Realmente tem muita coisa para fazer por aqui… inclusive passeios ecologicos.
    Gostei do post.

    Resposta
    • 14/03/2010 em 00:47
      Permalink

      Olá Viviane..
      Legal receber os comentários de quem já visitou Hong Kong..
      Ajuda e muito quem está buscando informações pra ir viajar..
      Obrigado pelas contribuições..
      Abraço..

      Resposta
    • 25/02/2013 em 16:16
      Permalink

      Ola, estou indo para china em abril, a negócio, em hong kong, mas estou achando um pouco caro os hotéis,e vou ficar 15 dias, pode me indicar um lugar proximo com custo benefício?

      Agradeço,

      Um abraço.

      Luciana

      Resposta
      • 03/10/2013 em 18:21
        Permalink

        Ola Luciana!
        Como foi sua viagem para hong kong!
        Estou indo para la em novembro, alguma dica?

        Abraço

  • 27/04/2010 em 05:19
    Permalink

    Achei mto legal, porque estarei indo para Hong Kong, em Agosto/2010, passar férias na Disney de Hong Kong, mas tbm gotaria de conhecer a cidade, além do parque… E não sabia de nehnum ponto turistico de lá! Obrigadaa!
    Té mais!

    Resposta
    • 05/06/2010 em 00:07
      Permalink

      Olá Mariana..
      Legal.. Quando você voltar de viagem, venha aqui no post e deixe ainda mais pontos turísticos pra gente..
      Aposto que essa viagem vai ser sensacional..
      Por sinal, você fala mandarim?
      Abraço..

      Resposta
  • 13/08/2010 em 19:44
    Permalink

    Muito legal!

    Amei, vou aproveitar as dicas!

    Olá Viviane!

    Queria saber se é perigoso andar por Hong Kong como turista em termos de assalto e máquina fotográfica….

    Abraços

    Resposta
  • 16/09/2010 em 10:58
    Permalink

    Amanda,
    hong kong eh reconhecida como uma das cidades mais seguras do mundo.

    Resposta
  • 27/09/2010 em 22:15
    Permalink

    Olá viajo na quarta-feira para Hong kong e Macau, vou visitar a feira internacional de Cantão no dia 15 e 16 de Outubro, podem-me dizer o que devo ver em Hong Kong?
    e a China continental, alguma cidade perto para visitar?
    Agradeço sugestões
    Zé Carlos

    Resposta
  • 24/10/2010 em 16:32
    Permalink

    Olá Viviane, estamos pensando, eu e meu marido visitar Hong Kong em janeiro/2011. Gostaria de saber quantos dias é interessante passar ai, e quais as cidades próximas que devemos visitar? Quanto se gasta em média com alimentação, hospedagem e passeios?
    Abraços, Fabricia

    Resposta
  • 12/11/2010 em 22:56
    Permalink

    nunca fui nesses lugares mas adoraria ir aida mais com essas dicas super legais na primeira oportunidade que tiver quero ir la bjss!!!!!

    Resposta
  • 29/11/2010 em 11:01
    Permalink

    Bom dia!
    Estou aqui desesperada.. Li o seu post dizendo que Hong Komg é a cidade mais segura do mundo, e espero mesmo que seja.
    A minha afilhada saiu meio que fugindo de Seul e parou em Pequim. Depois quando foi pegar um voo para a India (pq a passagem para o Brasil saia da India), ela foi barrada em uma conexão em Hong kong porque o visto da India não estava em dia (e isso é verdade, como disse ela saiu corrida de Seul).
    Me ligou falando que teria q ir no consulado de lá resolver isso, etc. (era a noite e ela iria tentar achar um hotel para ficar (tem pouco dinheiro em maos) ou então dormir no aerporto.
    Tem mais de 36 horas que ela não retorna e estou desperada.
    Fico pensando se as tomadas de hong kong são diferentes (para ela ainda não ter ligado o laptop e avisar algo), ou se alguma coisa pode ter acontecido…
    Nem sei mais o que falar. Não tenho ideia para onde deveria mandar emails.

    Resposta
  • 19/02/2011 em 18:02
    Permalink

    bueno hablar de Hong Kong es una autentica pasion trabajo en una agencia de viajes por eso viajo con facilida, cada vez que estoy en Hong Kong siempre descubro cosas nuevas, Hablar de una ciudad de 21 kilometros cuadradoa pero en la realidad es un mundo es ridiculo pensar que Hong Kong es solo una ciudad de negocios para empezar te doi tres sugestiones:
    Tienes que ir a Peak es un mirador unico para mi la mejor hora es en el atardecer cuando lo noche llega y toda la iluminacion de la ciudad empieza a encender cree es unico
    puedes tambien ir de manera imformal para beber un trago a las noches de Wan Chai no te olvides de ir al Bananas´s Club seguro la pasaras bien

    para terminar puedes ir a un lugar donde los angeles suelen ir
    kowloon al lado des hotel peninsula que es fantastico existe un local AQUA tiene bar tiene restaurantes no te digo mas nada por que todo lo que pueda decir es poco es genial es unica solo la vista la gente su musica la comida bueno tienen que ir entre muchas cosas HONG KOMG es unico

    Resposta
  • 05/05/2011 em 19:10
    Permalink

    Quando puderem visitem esta cidade que é maravilhosa! Fui com minha mãe em ago 2010, mas o verão é quente e muiiiito úmido.

    Ao chegar no aeroporto – troque apenas o necessário, pq o câmbio no aeroporto não é muito bom – e na região de Kowloon vc vai ver várias casas de câmbio,… algumas lojas gdes aceitam yen, dólar e dolar de HKong.

    Pegue mapas no aeroporto e na saida há ônibus (free shuttle ) para vários hoteis, se quiser pagar menos vá de metro ate a (Central Station) e pegue outro metro ate a estação mais proxima de seu Hotel. Chegando lá compre um cartão (Octopuss card) serve p/ metro e onibus, mas ande de metro q é mais barato, este cartão dá desconto e se vc não usar tudo eles te devolvem o que vc não usou.

    O melhor local para se hospedar é proximo da estação (Tsim Sha Tsui), (Yau Ma Tei ou Mong Kok).

    No primeiro dia, visitem o ” The Peak”, aonde você terá uma vista deslumbrante da cidade, e aproveitem para visitar o Museu Madame Tussaud (cera) – desça no Central Station. P/ subir no “The Peak” vc sobe de um bondinho…vá apos 15:30 e espere anoitecer pq a vista é lindaa!

    Lá você encontrará praias… visite ” Repulse Bay Beach ” há ônibus na Central Station, ou pode ir para Stanley tbem.

    No terceiro dia, fomos até – Lantau Island visitar o -Big Buddha – que também é imperdível e voce pode degustar da culinária vegetariana que é super barata, preparada pelos monges 3 bolinhos vc paga hk10,00 que deve ser menos que 10yenes- Ah e aproveite na volta para fazer compras no Outlet na estação (Tung Shung).
    na Ilha de Lantau, tbem tem a Disney, mas não vale a pena é muito pequena.

    O centro de compras em Hong Kong fica em Mongkok (há muitas lojaas, feiras, shoppings, eletronicos e ficam aberto ate umas 23:30), há restaurantes de todos os tipos, mas nós comemos mais nos japoneses e cadeias de rest americanos.

    A Disney de lá não vale a pena, é muito pequena, ao invés disto vá fazer compras na região de (Tsim Sha Tsui) visitem os museus e ao anoitecer vá a Avenida das Estrelas ver o por do sol que é maravilhoso e fique para ver o espetáculo que entrou para (Guinness Book) ” Symphony of Lights”, que começa todas as noites das 20:00 as 20:30, um show de luzes de 41 prédios na orla de Hong Kong, imperdível.(reforço, este é o melhor passeio)
    Desça no (Tsim Sha TSui) e vá ate a Ave of Stars e guarde seu lugar, pois apos as 19;00 lota de gente..todos aguardam o show é lindo mesmo!!! Fomos 2 noites seguidas e há um museu ali perto e vários shoppings na região.

    Como Hong kong é próximo de Macau, lógico que você não poderá deixar de visitar este lugar lindo, ex-colônia de Portugal…mas não encontrei ninguém que falasse português.
    Mas os cassinos são lindos e há pontos interessantes da época da colônia, a cidade é limpa e organizada.

    Chegando no porto de Macau há onibus gratis para todos os cassinos, vá e aproveite para tirar bastante fotos.
    tem um cassino do Stanley Hoo -um dos ricaços de Macau que tem 86 barras de ouro no chão, acho que é o (Emperor) e no (Gran Lisboa) ele tem 2 diamantes enormes na entrada, fora as obras de arte….

    Lá em Macau – passe nas pastelarias -dá p/ experimentar..só que pastelaria lá vende biscoitos de massa folhada e amanteigados.

    Nas ruas as x vc sente um cheiro horrível de uma comida q eles fazem.

    Ahh Hong Kong e Macau dirigem do lado esquerdo, bom passeio e aproveitem, tenho certeza que vão amar.

    bjss
    Mirian/sjc

    Resposta
  • 31/07/2012 em 05:45
    Permalink

    Ola Mirian

    Obrigada pelas dicas eu vou a hong kong 5af e as dicas serao bastante uteis…

    Resposta
  • 22/10/2012 em 10:33
    Permalink

    OLÁ.
    ALGUEM POR GENTILEZA SABE INFORMAR A DISTANCIA ENTRE MACAU A HONG KONG E QUAIS OS MEIOS DE TRANSPORTE.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat