BAIXE GRÁTIS NOSSO KIT DE PLANEJAMENTO DE VIAGEM! CLIQUE AQUI!

Melhores lugares para rafting no Brasil

Olá pessoal, continuando nossa série de artigos sobre atividades outdoor, hoje vamos falar sobre os melhores lugares para rafting no Brasil.

Além de conhecer os melhores lugares para a prática de rafting no Brasil, vamos falar sobre os motivos para esse esporte de aventura ser tão procurado!

Assim como vamos explicar as classificações existentes no rafting, quais os cuidados necessários para realizar a atividade e os benefícios para o praticante.

Você vai encontrar todas as informações necessárias para ter conhecimento sobre o esporte e suas características.

Portanto, viaje rumo a aventuras únicas para lugares incríveis e prontos para o turismo de aventura com rafting no Brasil. Veja as nossas dicas e divirta-se com segurança.

Por que fazer rafting?

O rafting não apresenta restrições nem de idade ou a necessidade de saber nadar, logo a sua prática em rios, corredeiras e quedas d’água é uma experiência esportiva de aventura emocionante para todos.

A atividade consiste em descer corredeiras em um bote com capacidade de 6 a 8 pessoas e atrai novos adeptos cada vez mais. A prática do rafting se dá com todos os equipamentos de segurança e com a presença de um instrutor em cada bote.

Dos esportes aquáticos de adrenalina, o rafting pode inclusive trazer benefícios para a saúde, pois aumenta a força do praticante e sua coordenação motora, assim como o equilíbrio e a melhora da capacidade respiratória.

Sem contar nas lindas fotos tiradas durante todo o percurso, principalmente se você tiver uma câmera GO PRO e todas as histórias para contar aos amigos e familiares.

Quais os benefícios de fazer rafting?
Quais os benefícios de fazer rafting?

QUAL O MELHOR SEGURO DE VIAGEM PARA VOCÊ?










Quais os tipos de rafting que existem?

Os tipos de rafting na verdade são classificados e divididos em seis classes que consideram a dificuldade de travessia dos rios, sendo elas:

  • Classe I
  • Classe II
  • Classe III
  • Classe IV
  • Classe V
  • Classe VI

Classe I

A Classe I de rafting é a categoria de nível mais fácil e consiste na subdivisão de águas rápidas com ondas e pedras pequenas.

É a classe indicada para os iniciantes, marinheiros de primeira viagem, apesar de ser quase um passeio no bote, do que de fato encontrar corredeiras.

Se você não quer sustos, essa é a classe indicada, apesar de existirem poucos lugares que oferecem a Classe I, já que não possui tanta procura.

Classe II

É a classe dos iniciantes com corredeiras diretas e largos canais evidentes, sendo uma classe indicada para começar as aventuras.

Se você quer ter os primeiros sinais de adrenalina, vai adorar experimentar as corredeiras de rafting da Classe II.

Classe III

Na Classe III de rafting já estamos falando de um nível intermediário com corredeiras de ondas moderadas e irregulares que podem ser difíceis de evitar e com risco de inundar o bote.

Nesse tipo de rafting já se faz necessário sempre a presença de um guia profissional para o bote para que aconteçam as instruções e garantir a segurança de todos.

Classe IV

A Classe IV de rafting é uma modalidade avançada com corredeiras mais intensas dos rios, porém previsíveis e com controle do bote em águas turbulentas.

A capacidade de controle vai depender do caráter do rio, por exemplo, se ele tem ondas grandes, passagens estreitas e buracos na descida, precisando de manobras rápidas entre rochas, sendo um esporte sob pressão.

Nesse tipo de classificação, o risco para o nadador é de moderado a alto e as condições da água tornam o auto salvamento difícil.

Portanto, vá com um grupo de apoio para o percurso e só embarque nessa se você tiver as habilidades necessárias, porque o nível do rio pode alcançar a classificação IV+ em épocas de cheia.

Classe V

Nível especialista, a Classe V de rafting conta com corredeiras extremamente longas, salvamento muito difícil para nado e rios violentos.

Requer grande perícia por ter muita obstrução e enorme nível de experiência para o remador.

Apresenta ondas grandes, por isso precisa de profissionais liderando as inevitáveis quedas íngremes e elevadas na descida.

Classe VI

Nível extremo e a derradeira experiência, devendo ser evitados esses tipos de rios pelo nível de dificuldade extrema das águas, com muita imprevisibilidade e perigo.

Na Classe VI de rafting já estamos falando de rios para quem é fã e aventureiro de carteirinha ou quem é um profissional do esporte.

Quais os tipos de rafting que existem?
Quais os tipos de rafting que existem?
Cupom desconto viagem

O que levar em consideração na hora de escolher um lugar?

Existem algumas particularidades para serem levadas em consideração na hora de escolher um lugar para praticar o rafting, como:

  • Nível de dificuldade dos rios
  • Melhor época para praticar a atividade
  • Localização dos pontos de partida e chegada para a prática
  • Distância das cidades e hospitais
  • Meios de comunicação
  • Apoio de guias especializados
  • Habilidades necessárias

Quanto ao nível de dificuldade dos rios para a escolha do lugar onde se praticar rafting no Brasil, deve ser considerada a classe categorizada para o rio (conforme classes que falamos mais acima), a quantidade de ondas, corredeiras, ondulações e pedras.

Quanto à melhor época para praticar o rafting, pesquise sobre a região e a melhor época, se acontecem muitas trovoadas de última hora, se acontecem períodos de cheia dos rios, dificuldade para acesso aos rios e tudo mais.

Quanto à localização dos pontos de partida e chegada do percurso, importante saber o tempo necessário para chegar até o ponto de partida, o tempo do trajeto do rafting para chegar até o final e como vai ser a volta para depois seguir adiante.

Quanto à distância dos rios de rafting até às cidades, importante saber como chegar à cidade, qual o aeroporto mais próximo da localidade e os melhores lugares para hospedagem. A distância até hospitais também deve ser calculada, já que estamos falando de um esporte de aventura.

Quanto aos meios de comunicação do local da prática, importante verificar se naquele local existe sinal de internet ou telefonia próximos, para em casos de emergência fazer contatos rápidos. E caso não existir, o que seria necessário para buscar ajuda.

Quanto ao apoio de guias especializados, verifique a capacitação técnica da equipe de apoio para realizar a prática do rafting, tempo de experiência no rio, assim como a avaliação nas redes sociais.

Por último, sempre considere quais as habilidades exigidas da pessoa que vai praticar o rafting para verificar se é adequado para você. Não corra riscos desnecessários.

No decorrer do texto vamos dar algumas dicas de locais incríveis para a prática do rafting em território brasileiro com bons percursos para que você escolha o nível de dificuldade.

8 dicas de lugares para a prática de rafting no Brasil

Confira os melhores lugares e fique por dentro do turismo esportivo e onde o rafting é muito praticado. Escolha entre essas opções e divirta-se!

Rafting em Brotas (SP)

Brotas está localizada a cerca de 220 km da capital de São Paulo e oferece diversas aventuras, incluindo o rafting. Um dos lugares ideais para a prática, a região tem o rio Jacaré Pepira, um dos poucos que estão livres de poluição e, portanto, com águas limpas.

As suas corredeiras são velozes e na parte baixa formam quedas d’água de 3 e 4 metros. A atividade pode ser praticada inclusive durante a noite. O trecho mais agitado do rio (Baixo Jacaré) tem corredeiras e quedas das classes III e IV, com duração de 2h30. O rafting noturno é feito por esse percurso em noites de lua cheia.

Mas procure pelo mini-rafting em Brotas, praticado no trecho do Alto Jacaré, para encontrar águas mais calmas de classes I e II e com duração de 1 hora.

O aeroporto mais próximo da cidade de Brotas é o Viracopos, em Campinas. Há diversas pousadas e hotéis para se hospedar em Brotas, com gostos e valores diversos.

Rafting em Socorro (SP)

Socorro está situada a 130 km da capital São Paulo e o rafting é praticado no Rio do Peixe, com extensão de 7 km e corredeiras na metade do percurso (4 km). Aproveite as águas para essa aventura e o contato com a natureza, além da adrenalina.

O caminho turístico Rio do Peixe tem corredeiras classes II, II+, III e IV+ e mais de cinco cursos fluviais, com cerca de duas horas de duração (4 km) ou duas horas e meia (7 km). O volume máximo de suas águas é alcançado entre os meses de dezembro a abril, no período chuvoso.

A cidade Socorro fica próxima a outros destinos da serra no interior paulista, como Águas de Lindóia (28 km) e Serra Negra (32 km).

É distante em duas horas de São Paulo e os aeroportos mais próximos são o Aeroporto de Congonhas e o Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas. A cidade tem cerca de 36 mil habitantes e recebe até 1,5 milhão de turistas a cada ano. Então, há uma extensa rede hoteleira, pousadas e chalés para todos os gostos.

Rafting em Bonito (MS)

Outro destino famoso do rafting no Brasil e internacionalmente, Bonito no Mato Grosso do Sul é um dos lugares mais lindos formado por um rico ecossistema e excelente porta de entrada para a atividade esportiva.

A natureza está intocada em grande parte e as corredeiras do Rio Formoso são propícias para o esporte dentro de um percurso de 7 km, com correntezas calmas. O turista passa por 3 correntezas e admira a paisagem ao longo do caminho.

O verão é o período de chuvas e a melhor época para viajar, porque os rios estão cheios. A cidade tem um aeroporto, mas os visitantes costumam chegar pelo aeroporto em Campo Grande e seguir de carro ou ônibus rumo a Bonito.

De carro saindo de Campo Grande, são três horas e meia de viagem até Bonito. Não é recomendável partir de ônibus, porque a viagem é extremamente cansativa – podendo levar até seis horas – e com muitas paradas. Caso vá sem carro para Bonito, hospede-se no Centro da cidade.

Rafting na Chapada dos Veadeiros (GO)

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros fica na cidade de Alto Paraíso, em Goiás, com um grande potencial para essa aventura radical e um dos rios mais bonitos do Brasil.

O Rio Tocantinzinho está a 28 km da Vila de São Jorge, na Chapada dos Veadeiros, localizada no município de Colinas do Sul e tem trechos de corredeiras e quedas d’água de níveis II e III, com partes de nível I. Para chegar à Vila de São Jorge, há alguns trechos de difícil acesso.

A descida é realizada entre corredeiras dentro de um grande cânion nas águas esverdeadas do Rio Tocantinzinho. Durante a descida, você pode pular na água e deixar o colete flutuar.

A aventura começa no famoso Encontro das Águas (do Ribeirão São Miguel com o Rio Tocantinzinho), de fácil acesso e com estrada sinalizada. O trajeto é feito dentro de um grande cânion formado por paredes de quartzito com cerca de 50 metros de altura em um cenário incrivelmente único. A duração é de aproximadamente duas horas.

A atividade ao ar livre é realizada em um dos lugares mais belos, em meio ao paraíso da Chapada. É possível remar enquanto vislumbra a paisagem do cerrado e às margens das chapadas, numa extensão de 12 km. Veja cardumes de peixes passando por baixo dos botes e animais nas margens que são bastante preservadas. Ainda visualize espécies de aves aquáticas das mais raras existentes.

A melhor época para o esporte é de abril a novembro, com grande volume de água nesse período. O aeroporto mais próximo da Chapada dos Veadeiros é o Aeroporto Internacional de Brasília. Siga de carro até o Alto Paraíso de Goiás (242 km), São Jorge (257 km) ou Cavalcante (355 km).

As 3 cidades são as mais buscadas para chegar a Chapada dos Veadeiros, mas é cômodo ficar hospedado na Vila de São Jorge, próxima a aventura.

Rafting no Jalapão (TO)

O rafting no Rio Novo, na chapada tocantinense, fica no Parque Estadual do Jalapão no Tocantins e é um local maravilhoso para os praticantes.

Ele é um dos cinco melhores passeios de rafting do mundo. O Rio Novo tem algumas características próprias, com acesso difícil e é um rio de água potável!

A melhor época para visitá-lo é de maio a setembro, porque o período da seca é o mais belo do local, embora os rios não estejam cheios. Esse lugar é extremamente isolado e possibilita tanto um rafting de duas horas quanto uma expedição de dias.

Prepare-se para as estradas precárias de Jalapão e muito difíceis de serem superadas até com um veículo 4×4. Não há aeroportos na região, portanto chegue até o aeroporto de Palmas. A partir de Palmas, vá até Ponte Alta do Tocantins para chegar às atrações principais do Jalapão.

Para chegar ao rio, saia de Mateiros pela estrada que leva a Ponte Alta e siga 45 km por estrada de chão.

As principais cidades para você ficar hospedado são Ponte Alta e Mateiros (a mais próxima do Parque Estadual do Jalapão). Não espere encontrar opções de luxo por lá ou grandes redes de hotel conhecidas.

Rafting na Chapada dos Guimarães (MT)

O rafting no Brasil passa pelo Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, localizado a 64 km de Cuiabá, no Mato Grosso.

O Rio São Lourenço, nas proximidades da cidade de Jaciara e há duas horas do parque, conta com várias opções para os praticantes desse esporte.

No Rio da Prata você também encontra o esporte rafting, além de trilhas e rapel. Ele está localizado na cidade de Juscimeira, há duas horas da Chapada dos Guimarães também. O rafting nesse rio tem a vista para a Cachoeira da Prata, com 15 metros de altura.

O percurso é de um trajeto de aproximadamente 2,5 km, com níveis de dificuldade II e III, com corredeiras que proporcionam adrenalina para os iniciantes e duração de 1 hora e meia.

Chegue pelo Aeroporto Internacional de Cuiabá (CGB), que fica a cerca de 80 quilômetros do município da Chapada dos Guimarães. Juscimeira fica localizada entre Rondonópolis e Jaciara e a Cachoeira da Prata fica a 13 km da cidade.

Fique hospedado no centro da Chapada dos Guimarães. As pousadas mais interessantes estão na praça do Santuário de Sant’Ana.

Rafting em Itacaré (BA)

O rafting na região é praticado no rio de Contas, que começa na Chapada Diamantina na Bahia e percorre 620 km até desaguar na praia da Concha, em Itacaré. As corredeiras ficam no distrito de Taboquinhas, a 28 km de distância de Itacaré.

A descida dura uma hora e meia, passa pelas corredeiras de níveis III a IV e por um pequeno cânion. Os guias param em locais onde é possível saltar de pedras e mergulhar nesse rio.

O rafting inclui uma tirolesa de 180 metros que cruza o rio de uma ponta a outra. Taboquinhas tem uma área enorme de Mata Atlântica e o volume do rio é maior no verão. O aeroporto de Ilhéus fica a 75 km da cidade de Itacaré.

Itacaré está localizada na Costa do Cacau, com distância de aproximadamente 400 km de Salvador. Para chegar da capital da Bahia, é melhor pegar um ferry boat da ilha de Itaparica.

A melhor área para hospedagem em Itacaré fica entre a Orla da Praia da Concha e Pituba. Mas as corredeiras ficam na região de Taboquinhas onde também há hotéis e pousadas ótimas.

Rafting em Juquitiba (SP)

Juquitiba é uma cidade pacata de fácil acesso que está a 76 km do centro de São Paulo. No rafting em Juquitiba, há duas opções de percurso: o rio Juquiá e o Alto do Juquiá.

Os níveis são diferentes e o percurso mais simples é no rio Juquiá, com corredeiras que chegam no máximo ao nível III. Já o Alto do Juquiá chega ao nível IV+.

O tempo no rio é de cerca de 2 horas e a atividade pode ser realizada durante o ano todo. A saída do percurso mais radical (Alto Juquiá) depende do volume do rio e a descida passa por corredeiras de classes II a IV, chegando a 12 km de extensão.

O rio Juquiá é semelhante ao rio Jacaré Pepira, em Brotas. Além do rafting, as operadoras oferecem em Juquitiba outras atividades como canoagem, trilhas, tirolesa e até arvorismo. Como a cidade está próxima da capital, é possível retornar para São Paulo após o passeio.

Porém, Juquitiba conta com pousadas aconchegantes para o seu descanso. O aeroporto mais perto de Juquitiba é o de Congonhas (CGH) que fica a 53,9 km de distância.

Quais os melhores lugares para rafting no Brasil?
Quais os melhores lugares para rafting no Brasil?

COMPARADOR DE SEGURO DE VIAGEM

Cuidados necessários

Agora vamos ver os cuidados necessários para a prática de rafting. Importante ler com atenção aos procedimentos de segurança que devem ser levados em consideração antes e durante a viagem.

Para começar, saiba qual a roupa e o calçado mais adequados para o esporte, o preparo físico necessário, pesquise sobre a instrução da equipe que irá conduzir a atividade e as características técnicas do rio.

A sua segurança deve estar em primeiro lugar, por isso cuidado na prática de esportes de aventura como o rafting no Brasil. Até o preparo psicológico deve ser considerado quando enfrentamos esse desafio aquático.

Seguro de viagem

Esse item é muito simples de ser adquirido e é extremamente importante para qualquer destino, principalmente para práticas esportivas como o rafting.

A contratação do seguro viagem é um item que torna a sua viagem de aventura mais segura com a contratação de um plano. Fique precavido caso algo aconteça durante a atividade.

O turismo de aventura guarda diversas surpresas boas, mas devemos pensar que atividades físicas, principalmente ao ar livre e aquáticas, nos deixam expostos a riscos variados.

Você pode acioná-lo a qualquer momento da viagem e ele oferece diversas proteções como a cobertura de despesas médicas mesmo em destinos longe da sua cidade (onde muitas vezes o plano de saúde não tem cobertura). Ele também dá os auxílios necessários em caso de bagagem extraviada.

Para conhecer planos sugeridos para esportes de aventura, sugerimos o site da Seguros Promo, um dos sites que é parceiro aqui do blog dada tamanha qualidade dos serviços oferecidos.

Condicionamento físico

O rafting não exige que você seja um atleta e tenha um alto nível de condicionamento físico, mas é um esporte de aventura na natureza.

Ele demanda equilíbrio ao descer corredeiras e força nos braços para comandar o remo, considerando a resistência das águas.

Então, para manter-se firme é preciso durante todo o percurso ter força para mover o bote. Inclusive, correntezas tranquilas demandam ainda mais esforço nesse esporte radical praticado em corredeiras e cachoeiras.

Prepare-se praticando atividades físicas antes de partir rumo a essa aventura em lugares incríveis como os recomendados por aqui.

Alimentação

Se você precisa ficar atento ao seu preparo físico, também necessita pensar na alimentação ideal antes de praticar o esporte.

Antes de partir para o rafting, consuma alimentos práticos e com uma fácil digestão. Por exemplo, coma frutas secas como uma fonte de carboidrato.

Outras opções são as barrinhas de cereal ou energéticas. Chocolates também são uma ótima fonte de energia. Frutas ricas em frutose, como a banana, ajudam a liberar a energia de forma rápida durante a prática.

Para percursos maiores em rios e mais fatigantes, consuma um sanduíche bem recheado. Ainda mais, beba bastante água para evitar a desidratação.

Psicológico

Não é só a parte técnica e física que precisa estar preparada, mas também a parte psicológica para lidar com o medo em correntezas e a concentração necessária dentro do bote.

É preciso se sentir bem para ficar tranquilo durante todo o percurso e lidar com as emoções pessoais sem prejudicar o grupo envolvido na atividade. Essa prática treina o trabalho em equipe e é desenvolvido em meio à natureza, com corredeiras que podem ser complicadas no caminho.

O contexto do esporte de aventura é perigoso caso algum praticante tenha reações exageradas durante o seu desempenho, portanto a preparação psicológica também é fundamental.

Equipamentos

Os equipamentos para a prática do rafting no Brasil não são equipamentos pessoais específicos e você não precisa carregá-los consigo.

Os itens obrigatórios na atividade e indispensáveis são fornecidos pela agência especializada, e contém:

  • Bote inflável
  • Remo
  • Saco estanque impermeável para levar lanche
  • Câmera
  • Kit de primeiros socorros
  • Capacete
  • Colete
  • Botinha de neoprene para substituir os tênis

Dentro do bote também há uma bomba de emergência caso o próprio sofra alguma perfuração e um cabo de resgate que vai inserido no saco estanque para o resgate de alguém que caia na água.

Acompanhamento de guias

As instruções do guia são fundamentais durante esse esporte de aventura. Ele determina as posições de segurança da tripulação e a maneira correta de usar os equipamentos necessários durante o percurso.

Logo, estar acompanhado de guias especializados garante a realização segura do rafting. Não recomendamos a prática do rafting para iniciantes ou atletas amadores sem a presença de guias.

Treinamento/Graduação necessária

Alguns procedimentos de salvamento são conhecidos pelo praticante no momento da prática, porque são coordenados pelos guias especializados em rafting e dependem do nível de dificuldade do local.

Portanto, as informações necessárias são transmitidas pelo instrutor para atravessar os obstáculos do trajeto com sucesso, como pedras e quedas d’água.

Quais os equipamentos necessários para a prática de rafting?
Quais os equipamentos necessários para a prática de rafting?
Grupo de desconto de viagem

Conclusão

Esperamos que esse artigo traga todas as dicas necessárias para um ótimo aproveitamento do esporte, além de te ajudar a escolher o melhor lugar para a prática do rafting no Brasil.

O esporte aquático necessita de todos os cuidados aqui descritos e, agora, você conhece as classes existentes do rafting e os benefícios trazidos pela atividade.

Guarde este post e consulte sempre que precisar antes de partir rumo a esse turismo de aventura. Viaje de maneira consciente e curta lugares incríveis em meio à natureza.

Gostou de saber mais sobre os pontos que oferecem o rafting no Brasil? Continue lendo o nosso blog e veja diversas opções de artigos nesse sentido, entre eles cachoeiras brasileiras para enriquecer o seu turismo!

Thiago Cesar Busarello

Thiago Busarello é autor e criador do Vida de Turista, no qual adora viajar e falar do assunto de turismo e viagens, compartilhando dicas e informações de viagens com os leitores.

2 comentários em “Melhores lugares para rafting no Brasil
  • 15/06/2021 em 12:52
    Permalink

    Sempre tive curiosidade em fazer Rafting, ótimo artigo

    Resposta
    • 19/06/2021 em 15:53
      Permalink

      Obrigado Julia. A experiência é incrível. Já tivemos a oportunidade de fazer em Bonito e vale muito a pena. Abraço!

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat