A crise aérea e o turismo

Nada mais chato que você ir para o aeroporto e ter que esperar para embarcar no avião. Pois aqui no Brasil isso foi corriqueiramente normal em 2007 com a crise aérea que afetou muitos dos brasileiros e estrangeiros que estavam visitando o país.

Na época, nunca tinha viajado de avião porque não tinha tido oportunidade pra isso (depois acabei indo e relatando no post Primeira Viagem de Avião), mas via pelos meus colegas de trabalho que viajavam bastante e diziam que era uma tortura!!

E não era de hoje que eles diziam que isso acontecia. A tal crise aérea já acontecia de vários anos pra cá. Acontece que a mídia começou a expor muito mais o assunto e cobrou resultado das pessoas competentes.

Com certeza alguém importante da sociedade pegou, comprou a passagem aérea e perdeu um vôo importante de negócios que ficou revoltado e meteu a boca no trombone pra começar isso tudo. Sem contar dos acidentes da GOL e da TAM que aconteceram e tiraram a vida de centenas de pessoas.

Crise aérea

O caos aéreo tomou conta do Brasil. Li nas notícias que até uma pessoa morreu ao esperar um vôo num final de semana após a greve que os controladores aéreos começaram pelo fato de prenderem 18 integrantes por suspeita de facilitar os vôos atrasados.

O Presidente Lula que se metia no meio então só piorava as coisas. Os militares da aeronáutica diziam que precisavam de mais autoridade, até que entrou o Nelson Jobim no comando do Ministério da Fazenda melhorando as coisas.

Claro que a crise aérea foi muito preocupante para o turismo. As agências de viagem e as companhias aéreas já haviam perdido muito dinheiro em campanhas que incentivavam o usuário a viajar de avião. E um dos principais negócios do turismo são as viagens aéreas. Tanto pelas comissões que as companhias aéreas passam para as agências de viagem como pela prestação de serviços pela venda de passagens aéreas.

Crise aérea e o turismo
Crise aérea e o turismo

Quantas pessoas deixaram de viajar nas férias de 2007 para ficar em casa tendo a tranquilidade desejada ao invés da incerteza de viagens conturbadas ou então escolheram destinos turísticos mais curtos para não se incomodarem?

O Carnaval do Rio de Janeiro de 2007 foi um dos destaques que teve queda de turistas no alto da crise aérea.

Temos que a cada dia exigir respostas e atitudes das pessoas responsáveis pelo controle do mesmo, seja através da CPI do Apagão Aéreo ou de medidas que regulem toda a situação para assim termos a certeza de fazer com que o turismo continue crescendo sempre mais.

(Revisado em 02/08/08)

Sua viagem começa aqui!

Reserve sua hospedagem em qualquer lugar do mundo de maneira rápida e segura, com opção de cancelamento gratuito e sem pagamento antecipado!

Precisa alugar um carro? Na RentCars a cobrança é feita em reais, sem IOF e em até 12x sem juros no cartão ou com 5% de desconto no boleto.

Se quiser viajar para o paraíso, o Zarpo tem os melhores pacotes de viagem.

E não esqueça do seguro viagem. Na Real seguro viagem o pagamento pode ser em até 6x sem juros no cartão ou com desconto de 5% no boleto.

Ao reservar com um parceiro através dos nossos links recebemos uma pequena comissão. Você não paga nada a mais por isso e ainda ajuda o blog a se manter sempre atualizado com novas dicas de viagem. Obrigado! =)

Conteúdo relacionado

Thiago Cesar Busarello

Thiago Busarello é autor e criador do Vida de Turista, no qual adora viajar e falar do assunto de turismo e viagens, compartilhando dicas e informações de viagens com os leitores.

2 comentários em “A crise aérea e o turismo

  • 03/03/2015 em 12:24

    Bom dia! Gostaria de uma opinião de vocês…
    Estou prestes a largar o emprego para investir em uma agência de turismo receptivo em Alto Caparaó, mas estou com medo da crise afetar o turismo, o que vocês teriam para me ajudar e esclarecer minhas idéias.
    Abraços…

    Resposta
    • 01/05/2016 em 19:42

      Olá Marlon, desculpe a demora em responder. Entendo que a crise está afetando o turismo há algum tempo. Com certeza diminuiu o número de pessoas viajando dentro do Brasil e também fora do país. Vários hotéis, restaurantes e estabelecimentos turísticos estão se mantendo por turistas estrangeiros, já que o real se desvalorizou bastante. Sem querer desanimar, entendo que sempre há espaço para novas oportunidades de negócio, mesmo em tempos de crise. Basta lançar serviços diferenciados e entendo que há um grande espaço para inovação no ramo das agências de viagem. Torço para que você encontre o melhor caminho para fazer bons negócios. Abraço!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *